quinta-feira, 27 de Janeiro de 2011

Grafite e Diamante...

Já ouviu possivelmente dizer que o diamante e a grafite são materiais formados apenas por carbono. É verdade... em comum têm serem formados por átomos de carbono ligados entre si. Contudo, são bem diferentes... não ficaria muito contente se lhe dessem um anel com uma grande grafite... preferia certamente este com um grande diamante:


Da mesma forma nenhum lápis de diamante lhe seria tão útil como um lápis com um bico de grafite:

Vamos então dizer-lhe o que distingue o diamante da grafite. Os átomos que os formam são os mesmos, a diferença reside na forma como esses átomos estão ligados uns aos outros. Essas ligações vão permitir que se formem dois materiais com características completamente diferentes e que são usados com objectivos que nada têm em comum.


No caso do diamante, os átomos formam entre si ligações muito fortes (chamadas ligações covalentes), cada átomo forma ligações covalentes com 4 outros átomos de carbono. Estas ligações têm uma disposição no espaço que pode ser descrita dizendo que estão direccionadas para o vértice de um tetraedro de que o carbono ocupasse o centro. Os átomos de carbono assim ligados formam uma rede tridimensional.

No caso da grafite, os átomos de carbono ligam-se entre si também por ligações covalentes, mas cada átomo só está ligado a 3 outros átomos de carbono. As ligações têm uma geometria tal que se pode dizer que estão direccionadas para os vértices de um triângulo de que o carbono ocupasse o centro. Formam assim "folhas" de átomos da carbono ligados entre si por ligações covalentes (e não uma rede tridimensinal). 


a - diamante   b - grafite

As camadas que formam a grafite, por sua vez, ligam-se umas às outras por ligações muito fracas. Tão fracas que quando passamos o dedo por cima da grafite sentimos que é macia e levemente escorregadia - tal sensação resulta do deslizamento das camadas umas sobre as outras; ligações tão fracas que quando passamos com o bico do lápis no papel, lá fica alguma grafite que nos permite ler o que escrevemos.
Já no diamante este deslocamento não é possível e a estrutura é extremamente rígida daí a sua dureza.

10 comentários:

  1. Eu Domingos Quibalo gostei da mateira, Concluí que Apesar de serem duas substâncias que têm a mesma composição química, a forma como os átomos de carbono se arranjam é que faz com que sejam tão diferentes. Na grafite os carbonos estão ligados entre si através de uma rede lamelar, ou seja como se fossem folhas sobrepostas. No diamante os carbonos estão arranjados de uma forma tetraédrica, ou seja todas as ligações têm força igual em todas as direções.

    ResponderEliminar
  2. Obrigada pelo seu interesse e ficamos contentes por ter contribuído para que ficasse a saber mais sobre este assunto.

    ResponderEliminar
  3. Sempre ouvi falar vagamente sobre esse assunto. Hoje, cursando Ciencia dos Materiais, me deparei com essa questão, que vocês responderam de forma clara e objetiva.. Parabéns pelo conteúdo acima..

    ResponderEliminar
  4. Oi eu sou a Emy, e gostei muito, deu para xclarecer as dvdas, e o meu prof ensinou-nos da msma maneira...

    ResponderEliminar
  5. Eu edson celso gostei do que vi neste pequeno cite, ja sei diferenciar totalmente a grafite do diamante

    ResponderEliminar
  6. zika do baguio manolo valeu msm \o/

    ResponderEliminar
  7. Seria bom se a nossa tecnologia fosse capaz de modificar as estruturas do átomo, imagine criar materiais no laboratório com um simples ajuste, e o enigma da pedra filosofal que transforma tudo em ouro iria ser bom

    ResponderEliminar
  8. Mas fazem-se materiais sintéticos. Por exemplo, a partir do petróleo fazem-se medicamentos, fibras para roupa, plásticos, detergentes...

    E até se fazem diamantes a partir de cabelo. Veja aqui:
    http://umaquimicairresistivel.blogspot.pt/2011/11/ja-pensou-transformar-uma-madeixa-do.html

    ResponderEliminar