terça-feira, 8 de novembro de 2011

Marie Curie e a Contribuição das Mulheres para o Desenvolvimento da Ciência


A  Encyclopaedia Britannica seleccionou um grupo de 300 mulheres cuja contribuição para a humanidade foi tão significativa que se pode considerar que mudaram o mundo – “300 Women Who Changed the World , em que, justamente, está incluída Marie Curie (1867-1934). Indubitavelmente ela contribuiu para mudar o curso da ciência, mas também o papel da mulher na sociedade.

 
Numa época em que o mundo era dominado por homens, e em particular a academia (o trabalho envolvia actividade intelectual, tradicionalmente vedada a mulheres), ela conseguiu avançar mais na ciência do que qualquer mulher antes dela e obter o reconhecimento pelas suas realizações científicas, apesar da discriminação por parte de numerosos prestigiadas instituições académicas. Hoje, apesar das desigualdades que ainda perduram, as oportunidades para as mulheres na ciência têm aumentado, para isso muito contribuiu Marie Curie. 

 (Marie Curie com algumas das suas colaboradoras)
Marie Curie, abriu sempre as portas do seu laboratório a mulheres  que quisessem fazer investigação científica. Tendo tido como colaboradoras um número considerável de mulheres, numa época e numa área da ciência em que isso não era comum. Entre 1904 (quando o laboratório foi criado) e 1934 (ano da morte de Marie Curie), trabalharam lá como investigadoras 47 mulheres, uma das quais portuguesa.


 (clique nas imagens para as ver maiores)
Estes dados demonstram o papel das mulheres, na época, no desenvolvimento da ciência na área da radioactividade. A estas mulheres não eram simplesmente dadas as tarefas mais repetitivas e rotineiros, faziam de facto investigação. Para esta presença significativa de mulheres contribuiu certamente o facto de Marie Curie ser um modelo para muitas jovens mulheres que aspiravam a ter uma carreira científica. Mas outro aspecto que também contribuiu, contudo um factor menos positivo, foi o facto da área das ciências da radioactividade ser na época uma área emergente, que não estava particularmente institucionalizada, e portanto oferecia poucas oportunidades de carreira, sendo por isso inicialmente mais acessíveis às mulheres.


O Volume 33 (Janeiro Fevereiro de 2011) da revista “Chemistry International – The News Magazine of the International Union of Pure and Applied Chemistry (IUPAC), foi de dedicado a Marie Curie e a comemorar o 100º ano da atribuição do Prémio Nobel da Química a esta cientista.  Tem um conjunto de artigos interessantíssimos (de onde recolhemos muita da informação para estes dois posts). Tudo está disponível on-line AQUI, não deixe de ler.

Sem comentários:

Publicar um comentário